24.9.11

Outra vez

A viagem de S. S. o Papa Bento XVI à Alemanha foi antecedida, como de costume, por artigos polémicos, acusações infundadas e uma contestação mediática. E, outra vez, o Papa chegou, viu e venceu. E venceu não pela aniquilação dos adversários, mas sim pela sua imperturbável lucidez, clarividência e amor a Deus, à Igreja e às almas. 

Aquela capacidade que ele tem de explicar coisas complexas e profundas de uma maneira simples é tocante. A sua comoção perante a injustiça e a miséria que, por desgraça, alguns causaram a vítimas inocentes, é tocante. 

A sua amabilidade em escutar, a paciência com que se deixa guiar para cumprimentar as pessoas e estar perto daqueles que o procuram é um exemplo a seguir. 

Mas, o que mais me impressiona, é a sua capacidade em falar de Deus, em insistir, uma e outra vez, que o homem só pode ser feliz se acolher verdadeiramente a Cristo e se viver unido a Ele e que é na Igreja que todos podemos encontrar o caminho seguro para esse encontro com o Mestre. 

Por tudo isto e muito mais, obrigado, bom Deus, pelo Papa que, como Sucessor de S. Pedro, guia a Igreja.