11.1.10

O referendo e a democracia em Portugal

«A forma como os partidos políticos portugueses rejeitaram a iniciativa popular que propunha um referendo sobre o casamento de homossexuais inviabilizou qualquer outra iniciativa popular que no futuro nasça da sociedade civil.

Isto significa que a democracia directa será usada em Portugal apenas para causas convenientes. Quando se quiser fazer avançar certas agendas, realiza-se um referendo, repetindo-o até as pessoas aceitarem o que se pretende; quando se quiser proteger um direito, toma-se a decisão de cima para baixo, travando qualquer iniciativa contrária, dizendo que não faz sentido referendar.»

Luís Naves, em Albergue Espanhol