8.6.09

Correspondência de João Paulo II


Há várias semanas que ecoam, em vários meios de comunicação, informações que o processo de beatificação de João Paulo II está a ser mais moroso devido à publicação da correspondência que o Pontífice manteve com a Sra. Wanda Poltawska, psiquiatra polaca. Os próprios títulos das notícias deixam uma certa dúvida sobre os factos.

No entanto, depois de ser possível aceder a todas as informações, torna-se claro que não há nada nesse epistolário que seja menos positivo de João Paulo II. Pelo contrário, nessas cartas manifesta-se uma amizade pura e muito sacerdotal por parte do Santo Padre.

Esta publicação mereceu alguns reparos por parte do antigo Secretário pessoal de João Paulo II, Card. Stanislaw Dziwisz, não pelo seu conteúdo, mas sim porque, no parecer do actual Cardeal de Cracóvia, é correspondência particular que não deveria ser publicada sem o consentimento mútuo de ambas as partes.

O problema para o processo de beatificação está no facto de a Dra. Poltawska recomendar ao Santo Padre que não nomeasse como Bispos alguns sacerdotes que ela, como psiquiatra, sabia terem problemas não resolvidos (na esfera afectiva e sexual). Alguns desses nomes foram propostos ao Santo Padre para serem nomeados como Bispos de várias dioceses da Polónia.

Como se constata, por vezes os títulos sensacionalistas podem induzir o leitor em erro.