14.4.09

Solidão


«O Papa não é secretário-geral ou presidente de um partido e, muito menos, um inspirador de facção. Ratzinger não foi propriamente escolhido para "agradar" ao mundo. Como Jesus, ao Papa compete pregar o óbvio, isto é, a Palavra do Ressuscitado: «tende confiança, eu venci o mundo.»

Ninguém esteve tão sozinho no dia da Paixão - naquela sexta-feira em que se consumou o escândalo da Cruz - como o Filho do Homem. Ninguém foi tão desprezado e humilhado publicamente e ninguém, como Ele, uniu, naquele inexplicável momento de dor e redenção, a sua esperança desesperada ao desespero da humanidade vazia.»

João Gonçalves, in Portugal dos Pequeninos, 2009.10.04