18.2.09

Casamento homossexual

1. No espaço de um mês, os dois Cardeais Portugueses foram ao Casino da Figueira. E, parte daquilo que disseram, veio amplamente reproduzido na comunicação social. Nos debates que começa a haver sobre temas como inter religiosidade, casamento, família a responsabilidade social, é importante a constatação que há figuras da Igreja cujas declarações têm muito eco na sociedade civil.

2. A comunicação social e o lobby homossexual usam uma estratégia muito simples e, por isso mesmo, muito enganadora: quem é contra a homossexualidade, é xenófobo. Este princípio é uma falácia. A posição da Igreja sempre foi muito clara: respeito pelas pessoas e condenação do erro. A Igreja é contra a homossexualidade, mas respeita a dignidade das pessoas homossexuais. Condena o erro, mas não a pessoa. Mal comparado, pode dizer-se que todos somos contra o cancro, mas não estamos contra as pessoas cancerosas.

3. No entanto, torna-se difícil fazer-se passar essa mensagem de um modo positivo. A Igreja não é contra a homossexualidade pelo facto do Santo Padre assim o decidir por decreto, mas sim porque a homossexualidade é contrária à natureza humana, tal como foi criada por Deus. Como referia o Sr. Cardeal José Saraiva Martins, isso acarreta problemas para a geração e criação de filhos.