5.11.08

Pamplona, uma semana depois

Faz amanhã uma semana que explodiu um carro armadilhado no campus da Universidade de Navarra, em Pamplona.

Desde ontem à noite que me encontro nesta cidade. Vim com alguns amigos e hoje passámos o dia na Universidade. Os vestígios da explosão só se notam nos edifícios atingidos (a zona lateral do Edifício Central e a Biblioteca). Alguns trabalhadores reconstroem o que a bomba destruiu dentro dos edifícios mas, externamente, nada se nota de anormal. Se a notícia da explosão não tivesse chegado a Portugal, não notaríamos nada de anormal.

O tema não se toca nas conversas, vêem-se estudantes normais. No parque onde explodiu a bomba, há carros estacionados como se nada de anormal tivesse acontecido. E talvez seja essa a melhor resposta ao terrorismo: não dar importância a quem não a merece.