4.1.08

"Vinde ver"


«Estava João Baptista com dois dos seus discípulos e, vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. Entretanto, Jesus voltou-Se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procurais?» Eles responderam: «Rabi – que quer dizer ‘Mestre’ – onde moras?» Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia.»
(Jo 1, 35-38)

«A fé cristã não se reduz a uma mera curiosidade intelectual, mas é toda uma vida que não compreenderá quem realmente não a viva; por isso o Senhor não lhes explica de momento qual é o Seu modo de vida, mas convida-os a que convivam com Ele um dia. O Senhor fala de um modo elevado e místico, porque o que Deus é na Sua glória ou na Sua graça não se pode saber senão por experiência, pois as palavras não conseguem explicá-lo.
A esse conhecimento chega-se pelas boas obras (ao convite de Cristo obedeceram imediatamente, e, como prêmio, "viram"), pelo recolhimento e aplicação da mente à contemplação das coisas divinas, pelo querer saborear a doçura de Deus, pela assiduidade na oração. A tudo isto convidou o Senhor quando disse "vinde e vereis", e tudo isso puderam alcançá-lo os discípulos quando, prestando atenção ao Senhor, efectivamente "foram" e puderam conhecer por experiência pessoal o que só com as palavras não teriam podido entender (cfr

S. Tomás de Aquino, Comentário sobre S. João