3.10.06

Re inícios

À medida que se aproxima o momento de tomar posse de novos encargos apostólicos, procuro, humanamente, preparar tudo o melhor possível. Mas o planeamento, as actividades e tudo o resto só terá eficácia e, no fundo, valor de vida eterna, se for preparado na oração, no diálogo com o Senhor. A pergunta certa não é: "O que é que eu quero fazer?", mas sim: "Senhor, que queres que eu faça?"

E fico em grande paz. Pois, no fundo, é Ele que fará tudo. Eu serei apenas instrumento.

Ao entrar nas paróquias que o Senhor acaba de me confiar, não vou com riqueza, nem com grande sabedoria e, muito menos, com soluções mágicas. Vou, Senhor, contigo no coração e nos lábios, sabendo que és tu quem moves os corações.

Da minha parte, a miséria de fraco instrumento. Da Tua, a graça que nos salva.