30.8.06

Working hard

Hoje foi o dia das últimas pedras.

O dia começou com a oração pessoal. Meia hora de diálogo com o Senhor. Seguiu-se a Santa Missa.

E depois veio mais um dia de trabalho intenso, que começou por volta das 10h da manhã e só terminou às 9h da noite.

Terminou-se a pintura exterior. Nem a chaminé escapou ao branco da tinta (sim, a Igrejatem uma chaminé).

Por dentro, também foi terminada a pintura e o arranjo das paredes. Por fim, o sistema de drenagem à volta da Igreja, que vai impedir que as águas danifiquem as paredes da mesma, também ficou pronto. Foi necessário ir buscar brita, várias vezes, à praia. Houve dois habitantes da ilha que trouxeram os próprios tractores e deram uma mão.

Foi um dia extenuante para todos mas, ao mesmo tempo, não diminuiu o entusiasmo por fazer as coisas com a maior perfeição humanamente possível.

Ao contrário dos dias anteriores, em que o tempo ia alternando entre sol e chuva miuda, hoje esteve um dia cinzento, carregado de nuvens. Ao longo do dia, fomos pedindo a Nosso Senhor que nos desse tempo para terminar os trabalhos que estavam a decorrer. E a chuva acabou por aparecer só quando já estava praticamente terminado.

A Mary e a Peggy, duas das senhoras em casa das quais ficámos alojados, prepararam um jantar reforçado. Acho melhor ir jantar antes que o clero fique sem comida (o que, dado o peso, até nem seria uma coisa muito má).