19.8.06

O desafio da visão positiva

O Cristianismo, o Catolicismo não é um conjunto de proibições, mas uma opção positiva. E é muito importante que evidenciemos isso novamente, porque essa consciência, hoje, desapareceu quase completamente.
Tem-se ouvido falar tanto sobre o que não é permitido, que agora é preciso dizer: "Mas nós temos uma ideia positiva a propor: o homem e a mulher foram feitos um para o outro e existe uma escala - sexualidade, eros e agape, que são as dimensões do amor, e assim se forma, antes o matrimónio como encontro repleto de felicidade, entre o homem e a mulher, e depois, a família, que garante a continuidade entre as gerações, onde se realiza a reconciliação das gerações, e onde as culturas também se podem encontrar.
Antes de tudo, portanto, é importante colocar em relevo aquilo que queremos.
Em segundo lugar, pode-se ver também, porque certas coisas nós não as queremos. Eu creio que seja preciso reconhecer que não é uma invenção católica, o facto que o homem e a mulher sejam feitos um para o outro, a fim de que a humanidade continue a viver: todas as culturas, no fundo, sabem disso.
No que se refere ao aborto, ele não entra no sexto, mas no quinto mandamento: "Não matar!". E isso nós devemos pressupor como óbvio, reafirmando sempre que a pessoa humana tem início no seio materno e permanece pessoa humana, até ao seu último suspiro. Por isso, deve ser sempre respeitada como pessoa humana. Mas isso torna-se mais claro se, antes, for dito o que é positivo.